Segunda, 19 Fevereiro 2018

lula

Slideshow - Notícias

PARABÉNS PT 38 ANOS!


Leia Mais

PARABÉNS PT 38 ANOS!

Luciane repercute caso de mulheres assassinadas no Oeste e denuncia alto número de feminicídios em SC

Na última segunda-feira, uma jovem de apenas 15 anos e suas irmãs (de 12 e 23 anos) foram assassinadas pelo ex-companheiro dela, no interior de Cunha Porã, na região Oeste. Esse caso chocou os catarinenses e expôs a situação crítica de violência doméstica e familiar vigente em SC. O assunto foi abordado pela deputada estadual Luciane Carminatti no plenário da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira, 01. Segundo a parlamentar, Santa Catarina aparece como o quarto estado brasileiro com maior índice de assassinatos de mulheres. “Em algumas cidades catarinenses, os feminicídios representaram 40% dos assassinatos cometidos em 2016.

No Brasil, o namorado, marido ou parceiro íntimo é o responsável por 80% dos casos de agressão denunciados e por mais da metade dos assassinatos de mulheres. Essa situação é inadmissível”, denunciou Luciane.

No Oeste, que liderou o número de mortes de mulheres nos últimos dois anos, a situação é ainda mais grave. Em 2015 e 2016, 33 mulheres foram mortas pelo parceiro ou por parente próximo nas cidades da região. “Neste ano, em apenas dois meses, já nos deparamos com dois casos muito violentos: as irmãs assassinadas em Cunha Porã e três pessoas mortas em Barra Bonita, também em um crime motivado por ciúmes, posse e não aceitação do fim do relacionamento”, ressaltou a deputada.

Em março de 2015, quase 10 anos após a Lei Maria da Penha, a Lei do Feminicídio foi sancionada. Este crime foi inserido no Código Penal Brasileiro como circunstância qualificadora de homicídio, ou seja, para assegurar maior rigor na punição dos assassinatos de mulheres executados no âmbito familiar ou tendo o gênero das vítimas como principal fator motivador. “Para o crime de homicídio, a pena prevista é de 6 a 20 anos de reclusão. Com a condição qualificadora do feminicídio, a pena passa a ser de 12 a 30 anos”, esclareceu.

"Quantas leis e aparatos legais são necessários para colocar um fim na violência e impedir a morte de mulheres? Esse assunto precisa ser debatido e encarado de frente pela sociedade e pelo poder público. Em muitos casos, assim como na tragédia que ocorreu em Cunha Porã, as mulheres procuram a delegacia, registram um boletim de ocorrência e até conseguem que medidas protetivas sejam decretadas, mas isso não se reflete em uma proteção efetiva e não evita que o pior aconteça. As leis existem, mas precisamos de ações mais enérgicas, que realmente interrompam ciclos de violência doméstica e protejam as mulheres e suas famílias", concluiu Luciane.


Foto: Miriam Zomer/Agência AL

--

ESTER KOCH DA VEIGA
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO
048 9911-0347
WhatsApp 049 9177 1112

 

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

Ao completar 38 anos, PT comemora alinhamento com 85% da população, diz Dresch

16 Fevereiro 2018
Ao completar 38 anos, PT comemora alinhamento com 85% da população, diz Dresch

O deputado estadual, Dirceu Dresch, líder da Bancada do PT na Alesc, comemorou os 38 anos do Partido dos Trabalhadores, completados no último dia 10 de fevereiro. “Há 38 anos, era criado no Brasil um novo partido, surgido da necessidade de milhões de cidadãos de intervir na vida social e...

Luciane diz que professores jamais terão aposentadoria pública com reforma da previdência

16 Fevereiro 2018
 Luciane diz que professores jamais terão aposentadoria pública com reforma da previdência

A deputada estadual, Luciane Carminatti (PT/SC) disse que os professores jamais terão aposentadoria pública se a reforma da previdência for aprovada. “Vai afetar frontalmente os professores deste país.” Em agenda com educadores pela na região Oeste na última semana, a deputada afirmou que foi questionada sobre a dificuldade de um...

SINE poderá ter cadastro de pessoas acometidas pela LER

16 Fevereiro 2018
SINE poderá ter cadastro de pessoas acometidas pela LER

A pessoa com Lesão por Esforço Repetitivo (LER) tem alguns movimentos limitados, mas isso não impede que ela desenvolva outras funções. Com o objetivo de incluir estas pessoas no mercado de trabalho, propiciando mais qualidade de vida, o deputado Neodi Saretta, está solicitando a elaboração um cadastro específico de pessoas...

Padre Pedro pede mais investimento em saúde preventiva e práticas integrativas

16 Fevereiro 2018
Padre Pedro pede mais investimento em saúde preventiva e práticas integrativas

Na esteira dos debates sobre o não cumprimento, em 2017, da Emenda que obriga o Governo do Estado a repassar 13% dos recursos à saúde, o deputado Padre Pedro Baldissera questionou também o modelo de atendimento em Santa Catarina e no Brasil. No último ano o Estado aplicou 12,6%, o...

Carnaval de 2018 foi de denúncia ao golpe, à mídia e de apoio a Lula, disse Ana Paula

16 Fevereiro 2018
Carnaval de 2018 foi de denúncia ao golpe, à mídia e de apoio a Lula, disse Ana Paula

A deputada estadual Ana Paula Lima, disse hoje, no Plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, que o Carnaval de 2018 entra para a história do Brasil, como um dos mais politizados. “Denunciou, de forma lúdica, o golpe para o mundo constrangendo a grande mídia, em especial a Rede Globo...

PTSC no Twitter

PTSC no Facebook

Cartilha, Direito de Resposta

Nosso Endereço

Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina.
Praça Olívio Amorim, 36, CEP: 88.020-090, Florianópolis - SC
Fone/Fax: 48 3028-6313

Receber informativo

Entrar em Contato

Email:
Assunto:
Mensagem:

Sites Importantes

 
 cutsc
 frente
 povosemmedo
doacao
 estrela do pt 2