Sexta, 18 Agosto 2017

Novos ataques da “Isto É” ao PT e à presidenta nacional tentam desviar a atenção do povo para a situação...


Leia Mais

Caravana LULA pelo Brasil


Leia Mais

Novos ataques da “Isto É” ao PT e à presidenta nac...

Caravana LULA pelo Brasil

Anna Julia Rodrigues: As mulheres nessa reforma da Previdência

Ao longo da história, o papel social da mulher esteve relacionado à reprodução biológica e ao trabalho doméstico, limitando sua participação à esfera privada. O questionamento da divisão sexual do trabalho só foi surgir com os movimentos feministas, na segunda metade do século XX. Esta mudança propiciada pelo acesso à educação se deve, em parte, à maior participação da mulher no mercado de trabalho e, em parte, à sua inserção na política.

Nas cidades, a independência econômica feminina se deu primeiro com a conscientização de seu papel na sociedade. Ela saiu de casa e buscou seu trabalho e seus meios de subsistência fora da residência. No campo, a situação foi invertida. Como o trabalho sempre esteve presente no dia-a- dia da mulher rural, sua conscientização sobre seu papel dentro da economia se deu tardiamente, e ainda hoje é difícil para muitas delas diferenciar suas atividades dentro de casa.

 

Por esse contexto histórico de emancipação das mulheres, que vemos a proposta de Reforma da Previdência do governo é uma medida contra as mulheres, enquanto trabalhadoras, como donas de casa e como mães. Aumenta mais a dificuldade para se aposentar e diminui o valor que receberão, se chegarem a se aposentar.

De acordo com a proposta apresentada pelo governo, a idade de aposentadoria aos 65 anos será a mesma para homens e mulheres em qualquer atividade ou profissão. Não haverá mais a diferença de 5 anos entre homens e mulheres e extingue a aposentadoria especial para os/as professores/as da educação básica.

O argumento que a mulher tem expectativa de vida maior que o homem por isso ela deve trabalhar mais 5 anos, é mais uma afronta aos nossos direitos.

Com o passar do tempo a mulher sentiu a necessidade de se tornar uma profissional e se inserir no mercado de trabalho, vindo a exercer uma profissão, mesmo continuando com todas as responsabilidades dos afazeres domésticos e a educação dos/as filhos/as. Cabe a ela ainda hoje, com raras exceções, realizar estas tarefas, por isso, considera-se que ela tem jornada de trabalho maior que a dos homens, conforme comprovado por pesquisa que “na média mundial, as mulheres trabalham 39 dias a mais por ano que os homens”.

Isto é, em 10 anos elas terão trabalhado mais do que um ano a mais que os homens, em 20 anos mais do que dois, em 30 mais do que três, em quarenta mais do que quatro. Ganhando sempre pelo menos 20% a menos. Se levarmos em conta o trabalho remunerado e o não remunerado – isto é, as outras jornadas que a mulher tem –, elas trabalham 50 minutos a mais por dia do que os homens.

Além da mulher trabalhar mais, ainda existe a diferença salarial entre homens e mulheres. Igualar homens e mulheres na Previdência deveria vir depois de alcançada igualdade real nas responsabilidades domésticas e também no mercado de trabalho, já que os salários recebidos em atividade refletirão diretamente no benefício a ser adquirido. Igualar o tempo de aposentadoria entre homens e mulheres é portanto, um retrocesso nos direitos das mulheres.

Todas seremos prejudicadas nessa reforma, mas as professoras terão seu direito histórico arrancado. É sabido e a Organização Mundial da Saúde – OMS reconhece que a profissão de professor/a é uma das mais estressantes, por isso, sempre foi garantido a aposentadoria especial, ou seja, se aposentar 5 anos antes na idade e na contribuição que os/as demais servidores/as públicos.

Será humanamente impossível uma professora continuar trabalhando após os 50 anos de idade, quando estará esgotada fisicamente e psicologicamente, não apenas pelo processo ensino aprendizagem, mas especialmente pelas péssimas condições de trabalho, pouca hora atividade, salas superlotadas etc.

Por esses exemplos e tantas outras trabalhadoras, que conclamamos todas as mulheres a se engajar no processo de mobilização contra esta Reforma da Previdência. Dia 08 de março, Dia Internacional da Mulher, é uma grande oportunidade de demonstrarmos nossa indignação e dia 15 de março, inicio da greve nacional por tempo indeterminado dos/as profissionais da educação, é decisiva para que esta Reforma não seja aprovada. Vamos juntas mulheres, nenhum direito a menos!

*Artigo inicialmente publicado no site da CUT Nacional

Anna Julia Rodrigues é presidenta CUT-SC

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

PT mobiliza militantes no oeste e extremo oeste neste final de semana

16 Agosto 2017
PT mobiliza militantes no oeste e extremo oeste neste final de semana

O Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina fará uma extensa agenda neste final de semana no Oeste do estado, onde o presidente e deputado federal Décio Lima e demais membros da executiva participarão de uma série de reuniões e atividades partidárias. Os encontros são a continuação do roteiro de plenárias...

Caravana LULA pelo Brasil

14 Agosto 2017
Caravana LULA pelo Brasil

LULA PELO BRASIL -> Confira aqui em primeira mão o roteiro inédito da caravana do ex-presidente pelo Nordeste, que começa dia 17 de agosto agora, em Salvador: http://bit.ly/2vJeNGL

NOTA DE FALECIMENTO: Companheiro Carlos Araújo, Presente!

12 Agosto 2017
NOTA DE FALECIMENTO: Companheiro Carlos Araújo, Presente!

A Direção Estadual e as Bancadas Estadual e Federal do Estado de Santa Catarina manifestam seu profundo pesar pelo falecimento do ex-deputado Carlos Franklin Paixão de Araújo, aos 79 anos, em Porto Alegre. Advogado trabalhista, Carlos Araújo combateu a ditadura, sendo militante das organizações Colina e VAR Palmares. Foi preso...

Novos ataques da “Isto É” ao PT e à presidenta nacional tentam desviar a atenção do povo para a situação do Brasil

12 Agosto 2017
Novos ataques da “Isto É” ao PT e à presidenta nacional tentam desviar a atenção do povo para a situação do Brasil

  NOTA DO PT DE SANTA CATARINA Não causa nenhuma surpresa o fato da Revista IstoÉ estar novamente atacando, com ofensas e mentiras, mais uma liderança de esquerda, em matéria de capa nesta semana. Desta vez a vítima é a presidenta do PT Nacional, senadora Gleisi Hoffmann. Este tipo de abordagem, longe...

PT realiza planejamento e define prioridades para o próximo ano em SC

06 Agosto 2017
PT realiza planejamento e define prioridades para o próximo ano em SC

A nova direção estadual do Partido dos Trabalhadores esteve reunida no último final de semana para a realização do planejamento estratégico da sigla para os próximos doze meses. O evento reuniu deputados, lideranças e militantes durante dois dias em Florianópolis, estabelecendo prioridades, diretrizes de atuação e um conjunto de ações...

Nota Oficial do PT de Santa Catarina

12 Julho 2017
Nota Oficial do PT de Santa Catarina

O Brasil assiste hoje a um dos acontecimentos mais tristes de nossa história recente. A condenação do presidente Lula SEM PROVAS pelo Juiz Sérgio Moro, reforça ainda mais o estado de exceção no qual o Brasil vive desde o golpe contra o governo legitimamente eleito da presidenta Dilma. Baseado em...

PTSC no Twitter

PTSC no Facebook

Cartilha, Direito de Resposta

Recursos Federais em SC

Nosso Endereço

Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina.
Praça Olívio Amorim, 36, CEP: 88.020-090, Florianópolis - SC
Fone/Fax: 48 3028-6313

Receber informativo

Entrar em Contato

Email:
Assunto:
Mensagem:

Sites Importantes