Terça, 23 Maio 2017

 

PEC 241/2016: um futuro congelado e sem perspectiva para o povo brasileiro


Leia Mais

Pacote com 55 ameaças aos direitos dos trabalhadores tramita no parlamento


Leia Mais

A audiência que se tornou popular


Leia Mais

Audiência Pública discute excessos da PM e reintegração de posse no Campus Palhoça


Leia Mais

Gilberto Carvalho debate desafios e perspectivas para o país em São Domingos


Leia Mais

Juízes e Promotores têm atestado de idoneidade vitalício?


Leia Mais

As dez medidas como projeto de poder


Leia Mais

Seminários Macrorregionais tem última rodada em Lages para discutir retrocessos e estado mínimo que vivemos no pós-golpe


Leia Mais

PT antecipa a eleição das direções municipais, estaduais e nacional


Leia Mais

Reuniões Microrregionais começam nesta sexta-feira em Araranguá


Leia Mais

PEC 241/2016: um futuro congelado e sem perspectiv...

Pacote com 55 ameaças aos direitos dos trabalhador...

A audiência que se tornou popular

Audiência Pública discute excessos da PM e reinteg...

Gilberto Carvalho debate desafios e perspectivas p...

Juízes e Promotores têm atestado de idoneidade vit...

As dez medidas como projeto de poder

Seminários Macrorregionais tem última rodada em La...

PT antecipa a eleição das direções municipais, est...

Reuniões Microrregionais começam nesta sexta-feira...

PEC 241/2016: um futuro congelado e sem perspectiva para o povo brasileiro

Todos os dias novos ataques aos direitos e ao povo brasileiro surgem com o governo golpista que se instalou no país. Neste momento, tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241/2016, que institui um novo regime fiscal e estabelece um novo teto para o gasto público, congelando por 20 anos recursos financeiros federais destinados à Saúde, Educação e Assistência Social, que ano a ano crescem de acordo com as necessidades da população.

A PEC 241/2016 inviabiliza o cumprimento do Plano Nacional de Educação (Lei 13005/2014) e é uma afronta contra tais direitos. Nenhum centavo novo vai chegar para construir escolas, pré-escolas, creches, melhorar as universidades públicas, a educação básica, o salário dos professores, praticamente inviabiliza as metas e estratégias do Plano Nacional de Educação 2014.

Para exemplificar, se essa regra já estivesse valendo desde 2006, o orçamento da saúde que foi de R$ 102 bi em 2016, seria apenas de R$ 65 bi. Na educação, que teve um investimento de R$ 103 bi, seria de R$ 32 bi, já o salário mínimo que hoje é R$ 880, estaria R$ 550. Esse número significa menos escolas, médicos, remédios, transporte público, segurança e saneamento básico, significa morte das camadas mais empobrecidas do país.

De acordo com o técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Mauricio Mulinari, basicamente por três motivos o regime fiscal proposto pelo governo golpista de Michel Temer é extremamente nocivo para a classe trabalhadora. Em primeiro lugar, ele destacou que o regime oculta o tema do sistema da dívida do estado brasileiro.

“A crise financeira, do estado brasileiro, não tem natureza fiscal, como o governo quer passar, não está baseada nos gastos com a saúde, educação, previdência social, aposentadorias ou pensões. O problema financeiro do estado brasileiro está no endividamento do estado, que consome em torno de 45% de toda arrecadação do Governo Federal, que se destina para não mais que 10 mil famílias, ou seja, para a elite brasileira”, explicou.

O novo regime oculta a dívida ao congelar única e exclusivamente os gastos com saúde, com educação e todos os demais gastos sociais, ainda de acordo com Mulinari. Em segundo plano, ele destacou que essa PEC é extremamente nociva, pois entrega todo sistema público brasileiro para a iniciativa privada. “Isso significa basicamente uma coisa: um serviço limitado e de péssima qualidade apenas para aqueles que puderem pagar. A classe trabalhadora mais empobrecida do Brasil está condenada a não ter acesso ao serviço público, já que os gastos serão congelados por 20 anos”, ressaltou.

No terceiro e último ponto levantado por Mulinari, o ajuste fiscal representa um aniquilamento para a classe trabalhadora que não pode pagar por um serviço privado de má qualidade, porque quando se congela o gasto com saúde e saneamento básico representa um aumento da mortalidade das camadas mais pobres, pois aumenta o número de doenças e diminui a capacidade de atendimento na saúde pelo Estado. “Por outro lado, também há um impacto direto na violência, pois quando se congela os gastos com educação e também com a segurança, a população que mora nas periferias está condenada a morrer, sofrendo os impactos que essa medida irá trazer”, concluiu.

Confira aqui o pacote com 55 medidas que representam retrocessos aos trabalhadores. 

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

NOTA DA BANCADA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA

23 Maio 2017
NOTA DA BANCADA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA

O governo Colombo vive nos dias atuais sua pior crise, após ter o nome do governador e de agentes públicos de primeiro escalão citados por diferentes delações, nos casos de recebimento de propina da Odebrecht e da JBS/Friboi nas eleições de 2014. Fatos esses agravados pela saída do governo, no...

Cerca de 30 ônibus partem de SC com destino ao Ocupa Brasília

23 Maio 2017
Cerca de 30 ônibus partem de SC com destino ao Ocupa Brasília

As ruas de Brasília serão ocupadas pelo povo brasileiro, que exige a saída de Temer e eleições diretas para a Presidência da República, nesta quarta-feira (24). As pautas foram convocadas para barrar as reformas do governo golpista, como a da Previdência e dos direitos trabalhistas, mas a reviravolta na conjuntura...

José Álvaro de Lima Cardoso: A delação dos donos da JBS e o verdadeiro custo do golpe no Brasil

23 Maio 2017
José Álvaro de Lima Cardoso: A delação dos donos da JBS e o verdadeiro custo do golpe no Brasil

Na recente delação feita pelos donos da JBS, um deles afirmou que a empresa desembolsou, entre 2010 e 2017, mais de 1 bilhão de reais em propinas. Segundo versão da turma que coordena a Lava Jato a quantidade de propina pagas alcança algo em torno de dois bilhões de dólares....

URGENTE: Movimentos sociais pedem impeachment de Colombo

23 Maio 2017
URGENTE: Movimentos sociais pedem impeachment de Colombo

Representantes de Movimentos Sociais protocolaram pedido de impeachment do governador Colombo, por crime de responsabilidade, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, na manhã desta terça-feira (23). O pedido traz a auditoria promovida pelo TCE/SC, que apontou a prática ilegal da "doação" pela Celesc ao Fundosocial, entre 2015 e 2016, no...

PTSC no Twitter

PED 2017 - Documentos

Golpe en Brasil: Genealogia de una Farsa

Acesse nosso Canal no Telegram

Cartilha, Direito de Resposta

Cartilha, Em defesa do PT

Recursos Federais em SC

Nosso Endereço

Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina.
Praça Olívio Amorim, 36, CEP: 88.020-090, Florianópolis - SC
Fone/Fax: 48 3028-6313

Receber informativo

Entrar em Contato

Email:
Assunto:
Mensagem:

Sites Importantes