• Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
  • default style
  • blue style
  • green style
  • red style
  • orange style
Erro
  • Erro ao carregar dados do feed

Partido dos Trabalhadores

PT
Imprimir

 

O PT sempre apoiou a luta dos trabalhadores e trabalhadoras por melhores condições de vida, de  trabalho e pela garantia e ampliação dos direitos. A greve é uma ferramenta de luta, quando os canais de dialogo são obstruídos ou não se instalam. Como é o caso dos professores do Paraná, em greve há quase um mês, por melhores condições de trabalho e contra a retirada de direitos.

 

A paralisação dos caminhoneiros em Santa Catarina e no Brasil é outro exemplo de luta dos trabalhadores e trabalhadoras por direitos. A pauta de reivindicações da categoria, é ampla, assim, as demandas precisam ser encaminhadas adequadamente, sob o risco de não se resolver o problema central que é a melhoria nas condições de trabalho e aumento da renda dos caminhoneiros. Além disso, do outro lado, estão os pequenos agricultores da região, que começam a ter prejuízos com a paralisação.

 

Outro elemento chave para a resolução deste conflito é a Lei dos motoristas. A presidenta Dilma já se comprometeu pela aprovação sem vetos. A lei estabelece regras para o exercício da profissão dos motoristas contemplando a jornada de trabalho de até 12 horas, incluindo horas extras. A lei também amplia o tempo máximo ao volante do motorista profissional de 4 para 5,5 horas contínuas; e isenta de pagamento de pedágio eixos suspensos dos caminhões.

 

O ponto mais complexo da questão é o valor do combustível. No mês de fevereiro, a Petrobras reajustou o preço da gasolina e diesel em R$ 0,22 e R$ 0,15, respectivamente. Não é aceitável que este custo chegue ao consumidor em proporções mais elevadas. O fato é que aconteceram aumentos abusivos no preço dos combustíveis em Santa Catarina, tanto que o procon de Santa Catarina, reunido no dia 23/02, deliberou que “ os reajustes cobrados nos postos de combustíveis acima de R$ 0,22 por litro de gasolina e R$ 0,15 por litro de diesel é considerado prática de preço abusivo e decidiu que na segunda quinzena de março o Procon Estadual irá entrar com uma Ação Civil Pública, junto ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina, contra os postos de gasolina que praticaram aumento do combustível. "Nossa função é fiscalizar e proteger o consumidor", ressalta Elizabete Fernandes. Além do abuso cometido pelos postos, o preço final do combustível é composto por: 20% distribuição e revenda; 12% do etanol e anidro, 25% ICMS (imposto estadual), 11% CIDE e PIS/PASEP e COFINS (Impostos federais) e 32% realização Petrobras.

 

Essa greve dos caminhoneiros, não envolve apenas a esfera do Governo Federal no processo de negociação, os governos estaduais também estão sendo pautados nesta mobilização de Sul a Norte do Brasil.

 

Os parlamentares e lideranças do PT estão trabalhando na intermediação entre o movimento e o governo federal para que seja encontrada uma solução o mais breve possível.

 

 

 

 

Imprimir

 

Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) editou, nesta sexta-feira (6), uma resolução com ações a serem realizadas pelos militantes e lideranças da sigla. As metas foram definidas durante reunião em Belo Horizonte (MG)  com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O documento pede mais engajamento, contribuição e união para possibilitar a governabilidade do partido para além do Congresso Nacional. Os militantes também são chamados a realizar mobilizações sociais e a participar do 5º Congresso Nacional do PT.

A resolução sugere, ainda, empenho dos petistas em favor da reforma política, democratização da mídia e do debate sobre a implementação do imposto sobre grandes fortunas.

Leia a íntegra da Resolução Política: “Reunido em Belo Horizonte, no dia 6 de fevereiro de 2015, nas comemorações dos 35 anos do Partido dos Trabalhadores, o Diretório Nacional resolve: 

Imprimir

 

 

A aventura de construir um Partido de base popular que viesse a representar de maneira independente os interesses dos trabalhadores na sociedade brasileira, ainda sob a ditadura empresarial-militar imposta ao país pelo golpe de abril de 1964, percorre a esta altura três décadas e meia.

No 10 de fevereiro de 1980 estavam amadurecidas as condições para dar forma a um organismo partidário que representasse as aspirações de uma classe social que se encontrava incluída, como mão-de-obra, no setor de ponta de economia, mas excluída da arena política. Uma classe que se revelou capaz pelo instrumento das greves, das mobilizações de massas e da ação parlamentar de estabelecer alianças com diferentes setores sociais para por abaixo uma tirania já em declínio.

O PT foi diagnosticado inicialmente como um incômodo a ser digerido e eliminado pela repressão pura e simples ou pela própria dinâmica do metabolismo institucional da transição pelo alto engendrada por seu principal estrategista, o Gal. Golbery. Ao forçar as portas daquele sistema político concebido para abrigar disputas sob o estrito controle do regime ditatorial, entre os grande senhores da indústria, do agronegócio nascente e dos antigos monopólios de comunicação nutridos pelo regime, o Partido dos Trabalhadores cometeu um delito: o delito original de ter nascido.

Pedex

Lula fala sobre a reforma política

Coleta Assinaturas

Reforma Política

Buscar no site

Investimentos Federais em SC

Informativo Eletrônico

Cadastre seu e-mail para receber informações do PT-SC.